Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    e se tiver uma proposta com trabalho certo???

  • Anónimo

    Eu neste momento apanhei o permi pelo meu pai mas ...

  • Anónimo

    Para um padeiro emigrante, eles pagam sempre pelo ...

  • Mane

    Sou cuidadora idosos ha varios anos em Portugal e ...

  • Jacinto Bruno Ribeiro Vasconcelos

    Boa tarde. Somos um casal portugues que pretende e...





Publicidade


Ajudar Portugal

por Nuno Barreto, em 10.01.12

Há muito tempo que ouço a célebre frase: "Eu fico em Portugal para ajudar o País". Isto parte de uma ideia de que para Portugal avançar é preciso ficarmos todos lá. E que sair é desistir. É deixar de ajudar Portugal. É deixar de criar riqueza em Portugal.

 

Eu não sei qual é a origem desse conceito, mas na minha opinião, fora em muitas raras excepções, e um conceito falso.

 

Uma pessoa que emigra, emigra em princípio para um país com melhores condições de vida em termos financeiros. Fora muito raras excepções, mesmo os que não emigram pelo dinheiro, vão sempre para um país onde os salários são superiores. E aí podemos dividir as pessoas em dois grupos. Ou tinham emprego em Portugal, ou não tinham.

 

Se não tinham trabalho, estavam impossibilitadas de contribuir positivamente para o País de forma mensurável (Excepto através de trabalho voluntário). Na melhor das hipóteses estariam a sobrecarregar o orçamento dos familiares, e na pior das hipóteses estariam a usufruir de subsídios de emprego ou rendimentos mínimos. Para uma pessoa desempregada em Portugal, a emigração é sempre largamente positiva para o País.

 

Se tinham trabalho, é verdade que deixam de contribuir através dos impostos, segurança social, e outros. Mas o emigrante vai estar a receber mais dinheiro, e a enviar dinheiro para Portugal. É dinheiro que está a entrar em Portugal, e a sair do país estrangeiro. É uma contribuição real para o aumento da taxa de exportação, pois entra dinheiro em Portugal sem sair nada de lá (excepto o recurso humano). E dinheiro que entra em Portugal, mais tarde ou mais cedo é gasto no sistema financeiro português, e é taxado a 23%. Na pior das hipóteses, é substituído em Portugal por um imigrante. Mas esse imigrante que veio trabalhar para Portugal vai tirar menos dinheiro de Portugal, que o emigrante português vai pôr. Até aí o saldo é positivo.

 

Acresce a tudo isso o facto de o emigrante quase não custar dinheiro a Portugal. Não usufrui dos serviços públicos (excepto embaixadas e consulados), não desgasta o património público, não gasta orçamento de estado na saúde ou na assistência social. Portanto, pelo menos em termos financeiros, o saldo é francamente positivo. As remessas de emigrantes já chegaram a 6% do PIB nacional, são um forte contributo para a economia, e além das remessas, muito mais dinheiro é gasto no consumo de produtos a quando das deslocações dos emigrantes a Portugal.

 

As excepções à regra são:

  1. Pessoas com capital para investir na formação de uma empresa (se o fizerem no estrangeiro em vez de em Portugal, estarão de facto a criar riqueza fora do País).
  2. Investigadores com um conhecimento importante que podem fazer avançar o País tecnologicamente.
  3. Activistas que tentem mudar as políticas do País para melhor.
Fora esses casos, que é uma fatia ínfima da população, a emigração não só não é prejudicial ao País, como é bastante benéfica.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:50

Publicidade



31 comentários

Sem imagem de perfil

De mikatu a 10.01.2012 às 19:47

Os emigrantes contribuem para a balança de pagamentos, ao enviarem remessas, que quer se queira quer não existem sempre, mais não seja através do aumento do poder de compra quando se vai matar saudades à terra. No entanto nada têm a ver com as exportações.

Agora, não entendo este teu post porque mais parece que estás a desculpar-te... um emigra sai do seu país e sai por um qql motivo. Se tivessem sido criadas as condições à partida para não ter saído e saísse à mesma é que se poderia criticar.

E para além disso muito mais contribui o emigrante para a imagem do país trabalhando arduamente lá fora do que ficar preso ao seu país e andar a protestar por tudo e por nada. A imagem do português no estrangeiro é de uma pessoa trabalhadora por alguma razão.
Imagem de perfil

De Nuno Barreto a 10.01.2012 às 20:49

Eu não saí de Portugal porque me senti forçado a faze-lo, muito pelo contrário. Tinha boas condições lá. Não me sinto culpado por isso, nem acho que devesse me sentir.

No entanto não é essa a razão deste post. A razão é que muita gente me vêm com este tipo de afirmações, com as quais não concordo. E aqui é um bom espaço, na minha opinião, de falar destes temas da emigração, e deixar a minha opinião.
Sem imagem de perfil

De "Portuga" a 11.01.2012 às 10:01

Nuno, venho acompanhando o seu blog a algum tempo, desde que tomei a decisão de emigrar. A verdade é que já cá estou a 2 meses e está a correr bem. Encontrei cá o que nunca encontrei em Portugal: Patrões sem medo de dar contratos efectivos aos funcionários e dispostos a deixar-nos ocupar funções aos quais estamos habilitados e não porque somos filhos do amigo ou da amante.
Sabe eu penso que não se pode ajudar quem não quer ser ajudado. Durante algum tempo tentei lutar pelos valores com os quais fui criada e vi essa luta perdida em vão. São poucos os que olham a ideais, só se vê o dinheiro fácil e rápido independentemente de quem se tenha que sacrificar. Portugal é cada vez mais o país do compadrio e dos favores.
No entanto, como emigrante enviamos dinheiro, fomentamos o comercio e turismo devido à fortuna que gastamos nas ferias. Mas acho que a nossa melhor ajuda deveria ser sermos pessoas de valores e dignas para não denegrir(ainda mais) a imagem dos Portugueses nos países que nos acolhem.
Obrigado Nuno, pela sua preciosa ajuda na minha nova aventura!
Sem imagem de perfil

De mikatu a 11.01.2012 às 14:23

A principal razão para não haver medo em dar contratos efectivos eh que eh fácil despedir alguém
Na realidade Portugal ao tornar o despedimento tão complicado criou o principal obstaculo ah contratação efectiva ... e todos sabem que isto eh uma situação que não pode ser mudada facilmente dado a visão de esquerda estar tão enraizada na sociedade lusa.
Sem imagem de perfil

De Genevois a 11.01.2012 às 10:47

Boas,
Eu, quando vou de férias nao gasto mais do que quando estou em Genève. Talvez no combustivel pois desloco-me com bastante frequência la que aqui em cidade. Tento viver ao mesmo nivel que a minha familia, assim nao ha o "primo", ou "tio", ou "irmao" que vem da Suiça com dinheiro nos bolsos.
Sem imagem de perfil

De Cláudio a 11.01.2012 às 15:23

Viva,

Também já emigrei e no meu caso foi uma decisão muito, muito ponderada.
Em relação ao dinheiro que vem para Portugal, não vem nada ! Impostos do trabalho, ficam no país para onde emigramos, compras são lá feitas, portanto, nada vem para Portugal.
Por outro lado, uma pessoa que sai, com um curso superior(cada vez mais) representa uma "fuga" de quadros técnicos em que o Estado investiu, por isso é uma perda para o país. Até ao 12º ano o Estado paga os estudos de um aluno, na entrada para a universidade, paga uma parte e isso representa um investimento que depois vai embora e aplicá-lo noutro país.
Emigrar é um passo gigante e só os que o fazem é que percebem o que é deixar tudo para trás e sentir um vazio quando se passa a fronteira.

Quanto ao que comentaram de nos outros países contratarem com termo efectivo, por ser mais fácil demitir, é redondamente falso, perdoem a frontalidade. É mais difícil demitir na França(só para dar um exemplo) do que em Portugal. Temos a 4ª maior taxa de desemprego da Europa, não é por ser difícil demitir ! Já se é possível demitir por inadaptação ao trabalho, incumprimento de objectivos(definidos pela empresa). Isso é uma ideia que querem semear para retirar qualquer réstia de inconveniente para a entidade empregadora, que o despedimento causa, como é o caso da indemnização(que já foi cortada e querem cortar ainda mais). Somos um dos países da Europa com maior precariedade, com os mais baixos salários e com o maior coeficiente de Gini.
Há uma diferença entre Portugal e a maioria dos outros países da Europa, ou se quisermos, entre quem dirige as empresas. É que em Portugal buscam o lucro fácil e rápido(basta ver os lucros brutais de algumas grandes empresas em tempo de crise), enquanto que nos outros países o desenvolvimento é mais sustentado, procurando a estabilidade e a sustentabilidade a médio ou longo prazo.

Cumprimentos.
Sem imagem de perfil

De mikatu a 12.01.2012 às 09:32

Os emigrantes enviam dinheiro para PT. São as chamadas remessas dos emigrantes na Balança de Pagamentos. Só porque uma ou duas pessoas não o fazem não significa que não existam e não sejam consideráveis entradas de capital em PT. E em PT as remessas existem nos dois sentidos, não nos podemos esquecer que temos bastante imigração . Se não fossem os emigrantes as remessas seriam negativas e o desemprego bastante superior.

O principal problema do pais eh acima de tudo a falta de produção . Quem vive dos serviços acaba por perder competitividade porque depende de terceiros para vender o que quer que seja.

O despedimento em Portugal tem de ter sempre uma justa causa. Nada mudou relativamente a isso. Na Suíça se uma empresa decidir que não necessita dos serviços pode despedir, não tem de existir justa causa. Resultado: Na CH eh possível contratar a termo efectivo sem pensar duas vezes. Em PT contrata-se a termo certo porque não se sabe o que vai acontecer no futuro (isto de uma forma muito redutora claro).

Na CH não sequer eh preciso existir salário mínimo na lei para que ele exista na pratica.
Os grandes lucros existem em todo o lado. O principal problema eh apenas que em PT ele não eh distribuído de forma tão equilibrada como na CH .

Estamos a falar aqui da CH . Mas poderíamos falar de muitos outros paises.
Sem imagem de perfil

De Cláudio a 13.01.2012 às 18:02

Os emigrantes enviam dinheiro para o ser país de origem se quiserem.

"O despedimento em Portugal tem de ter sempre uma justa causa."
Não é verdade, como disse, pode-se despedir por inadaptação do posto de trabalho ou simplesmente por não ter atingido os objectivos definidos pela empresa. Antes de afirmarem uma coisa, confirmem.

A questão da facilidade de despedimento não se coloca, como já afirmei, porque senão não teriamos uma taxa de desemprego tão elevada. Após anos a contrato, se o trabalhador continuar na empresa é porque é necessário e para um posto de trabalho efectivo, contrato efectivo.

Há realmente um defice de produção em Portugal, desmantalram-se frotas de pesca, fecharam industrias, principalmente texteis e transformaram Portugal num país de serviços, onde quase só se vende e nada se produz. Estes dados são conhecidos, a balança das importações comparativamente às exportações aumentou drasticamente.
Há realmente que inverter este sentido e começar novamente a produzir e dar poder de compra, que é o factor que faz a economia avançar.
Sem imagem de perfil

De mikatu a 20.01.2012 às 06:42

Parece que alguém desconhece a lei no entanto gosta de falar sem conhecimento de causa....

Justa causa pode ser despedimento por inadaptação do posto de trabalho ou simplesmente por não ter atingido os objectivos. Isso eh obvio para qualquer pessoa. Na Suíça isso não existe porque a empresa pode simplesmente despedir porque quer contratar outra pessoa ou porque não quer contratar mais ninguém e ficar por ai, não tem de existir JUSTA causa.
Seria sempre bom as pessoas estarem informadas sobre a lei no entanto tal não acontece e por isso esta situação prevalece em PT onde o mercado de trabalho eh rígido e isso apenas prejudica os trabalhadores, mas as ideias de esquerda prevalecem mesmo quando existem provas suficientes que não são o ideal.
Sem imagem de perfil

De Cláudio a 26.01.2012 às 23:18

"Artigo 351.º
Noção de justa causa de despedimento

1 – Constitui justa causa de despedimento o comportamento culposo do trabalhador que, pela sua gravidade e consequências, torne imediata e praticamente impossível a subsistência da relação de trabalho.
2 – Constituem, nomeadamente, justa causa de despedimento os seguintes comportamentos do trabalhador:
a) Desobediência ilegítima às ordens dadas por responsáveis hierarquicamente superiores;
b) Violação de direitos e garantias de trabalhadores da empresa;
c) Provocação repetida de conflitos com trabalhadores da empresa;
d) Desinteresse repetido pelo cumprimento, com a diligência devida, de obrigações inerentes ao exercício do cargo ou posto de trabalho a que está afecto;
e) Lesão de interesses patrimoniais sérios da empresa;
f) Falsas declarações relativas à justificação de faltas;
g) Faltas não justificadas ao trabalho que determinem directamente prejuízos ou riscos graves para a empresa, ou cujo número atinja, em cada ano civil, cinco seguidas ou 10 interpoladas, independentemente de prejuízo ou risco;
h) Falta culposa de observância de regras de segurança e saúde no trabalho;
i) Prática, no âmbito da empresa, de violências físicas, injúrias ou outras ofensas punidas por lei sobre trabalhador da empresa, elemento dos corpos sociais ou empregador individual não pertencente a estes, seus delegados ou representantes;
j) Sequestro ou em geral crime contra a liberdade das pessoas referidas na alínea anterior;
l) Incumprimento ou oposição ao cumprimento de decisão judicial ou administrativa;
m) Reduções anormais de produtividade.
3 – Na apreciação da justa causa, deve atender-se, no quadro de gestão da empresa, ao grau de lesão dos interesses do empregador, ao carácter das relações entre as partes ou entre o trabalhador e os seus companheiros e às demais circunstâncias que no caso sejam relevantes."

Acima tem os termos para um despedimento por JUSTA causa imputada ao trabalhador.
Um despedimento por inadaptação(DIVISÃO IV Despedimento por inadaptação
Artigo 373.º) não é justa causa imputada do trabalhador.

Fui claro ?

Em todas estas situações é possivel despedir.

Meu caro, o problema em Portugal não é o impedimento nas leis de contratar trabalhadores ! Também não é o do impedimento de despedir porque, como já lhe disse, mas pelos vistos não é relevante para si, temos a 4ª taxa de desemprego mais elevada da Europa.
O que prejudica os trabalhadores são as leis, é verdade, que beneficiam cada vez mais a entidade patronal e prejudicam cada vez mais os trabalhadores. Vou-lhe dar mais um ou dois dado que deve desconhecer, Portugal é o país da Europa mais desigual em termos de classes sociais e de rendimento auferido. As medidas de austeridade que estão a ser aplicadas estão a incidir mais sobre quem menos tem, mais concremante estão a reduzir em 6% o rendimento dos mais pobres. Em relação aos mais ricos, as medidas apenas reduzem 3% os seus rendimentos.

Por último, para que seja aqui reposta alguma verdade perante o que disse, a direita prevalece, ou não sabe que o PSD e o CDS-PP estão no governo ?
Sem imagem de perfil

De mikatu a 27.01.2012 às 07:13

O despedimento em Portugal tem de ter sempre uma justa causa."
Não é verdade, como disse, pode-se despedir por inadaptação do posto de trabalho ou simplesmente por não ter atingido os objectivos definidos pela empresa

Basicamente tanta lei e não demonstrou que eh possível despedir em ambas as situações , mas prontos... eh bom saber fazer copy-paste da lei e não dizer de concreto.

Em Portugal o facto de não se poder despedir facilmente eh impeditivo a contratação e ainda não conseguiu me demonstrar o contrario.
Em praticamente todos os países onde o despedimento eh fácil a taxa de desemprego tende a ser baixa, mas na sua opinião isso eh coincidência
O facto de não existir salário mínimo e os salários serem elevados deve também ser coincidência
Em ambas as situações a CH pode ser um exemplo, mas nos países nórdicos isso também eh verdade.

Agora para terminar a cereja em cima do bolo. PSD e CDS serem de direita eh uma novidade, dado que o CDS eh o partido mais em direita em Portugal com assento no parlamento e ser um partido de ... centro
Antes de falar (neste caso escrever) seria bom pensar um pouco. Não eh permitido em PT existir direita no entanto a esquerda eh encarada com algo natural. Algo esta mal nesta figura logo ah partida.

A desigualdade nos rendimentos não tem a ver com a lei. Desde quando são os empregadores a auferir elevados rendimentos? Quem anda a comer ah grande são os conselhos de administração , nada tem a ver com empregadores porque esses não criam emprego nem geram emprego, apenas vivem ah sombra da bananeira.

De qualquer forma apenas disse o que as empresas no estrangeiro pensam, onde eh mais fácil despedir eh mais fácil contratar, e os factos comprovam isso, mas podemos continuar a ignorar e a viver as ideias de esquerda que tanto bom resultado deram ao nosso pais, vamos tornar o regime laboral o mais rígido possível para beneficiar o trabalhador (e ao mesmo tempo prejudicar as empresas) e logo se vê no longo prazo o que vai acontecer.
Sem imagem de perfil

De Cláudio a 27.01.2012 às 11:53

Ainda não percebi o que quer dizer com o 1º paragrafo. Eu estava a dizer o que era justa causa ou não. Pode-se despedir por justa causa(imputada ao trabalhador) ou pelos motivos que mencionei, colocando aí a lei. Não é "tanta lei", foi você que disse que há pessoas que não têm conhecimento de causa e afinal parece-me que a falta de conhecimento fateu-lhe à porta. Não fui eu que disse que em Portugal não se despedia. Eu demonstrei-lhe, pela lei, que é possivel despedir das mais variadas formas.

"Em Portugal o facto de não se poder despedir facilmente eh impeditivo a contratação e ainda não conseguiu me demonstrar o contrario."

Pois, é o problema em interpretar a lei. Portanto, o que lhe venderam é que a apregoada dificuldade em despedir é a causa de não contratarem. Então, mas é dificil despedir ou contratar ?! Contrato sem termo, contrato a termo, recibos verdes, quer mais ?
Não lhe consegui provar que é fácil despedir mesmo com a lei e com os números do desemprego ? Se calhar a dificuldade não está do meu lado.
Então quer ver qual é taxa de desemprego nos EUA ? e lá é fácil despedir !

Quando ao CDS ser uma novidade para si ser de direita, gosto sempre de dar noticias às pessoas, mas esta já tem, pelo menos, 30 anos. Isso deve-se ao seu desconhecimento das politicas que eles praticam porque só assim sabe identificar uma ideologia politica/social. Privatizações é de esquerda ? E sabe quem as defende ? Desde o PS para a direita, portanto veja bem ! Atenção, não sou eu que digo que são de direita, os próprios afirmam sê-lo.

"A desigualdade nos rendimentos não tem a ver com a lei."
Eu falei em termos de medidas de austeridade(leis) e essas estão a ser mais aplicadas às pessoas que menos auferem.

Por último, as melhores condições para os trabalhadores(coisa que você não será certamente porque senão não estaria a falar mal de si próprio) não significam piores condições para o patrão, isso é dos livros. Formação, melhores condições sociais dentro da empresa, um salário digno, são condições para que haja um melhor desempenho e consequentemente uma maior productividade porque o trabalhador está MOTIVADO. As politicas de esquerda tiveram lugar no pós 25 de Abril e aumentaram enormemente as condições de vida da maioria da população(só para dar um exemplo, na área da saúde, o SNS foi uma referência a nivel mundial, sabia disto ? De há uns anos para cá tem vindo a ser desmantelado). Há 30 anos para cá o que tem acontecido é a destruição do que foi construido em 2 ou 3.
Sem imagem de perfil

De Flora Leal a 12.01.2012 às 13:24

Do pouco que (ainda) li, gostei!
Como emigra que tambem sou, neste caso em UK, acho interessante a visao de outros compatriotas que vivem fora do país!

Continua e boa sorte!
Flora
Sem imagem de perfil

De m a 16.01.2012 às 14:46

Boas tardes,
Como eu(26anos) existem muitos casos por ai... seguramente... infelizmente
Eu estou a trabalhar em "administração" ganhando pouco mais de 700Euros! Não considero que seja mau... mas ambiciono mais...
A minha cônjuge (24anos) está desempregada, e neste momento estamos à procura de soluções (mas não aparecem, não há resposta a curriculum, não há perspectiva futura!) Tenho familiares, que moram e trabalham na suíça à procura de trabalho!
De referir que actualmente, e considerando os próximos meses ou talvez mais um ano, seria capaz de aguentar esta fase em PORTUGAL, mas eu questiono: - serei capaz de dar um futuro capaz aos meus filhos aqui?...
Esta é a minha questão, PORTUGAL hoje está difícil, mas amanha infelizmente, penso que estará ainda pior!
Assim visto possuir um nível e formação académicos aceitáveis (frequência em licenciatura (ambos) e algumas formações técnicas em hotelaria), fluência em inglês e alguns conhecimentos em francês, mas acho que me adapto bem à língua, estou a pensar em aventurar-me ponderadamente para a suíça!

Conheço, a zona, pois já lá estive de férias, sei como funciona e tenho acompanhado através deste blog muitas questões!
Devo dizer que só não vou hoje porquê gosto de fazerr as coisas com calma, pois tenho casa, carro, família cá! Mas tenho de pensar no meu/ nosso futuro! futuro até a longo prazo!!!
Sem imagem de perfil

De m a 16.01.2012 às 14:47

oas tardes,
Como eu(26anos) existem muitos casos por ai... seguramente... infelizmente
Eu estou a trabalhar em "administração" ganhando pouco mais de 700Euros! Não considero que seja mau... mas ambiciono mais...
A minha cônjuge (24anos) está desempregada, e neste momento estamos à procura de soluções (mas não aparecem, não há resposta a curriculum, não há perspectiva futura!) Tenho familiares, que moram e trabalham na suíça à procura de trabalho para nós!
De referir que actualmente, e considerando os próximos meses ou talvez mais um ano, seria capaz de aguentar esta fase em PORTUGAL, mas eu questiono: - serei capaz de dar um futuro capaz aos meus filhos aqui?...
Esta é a minha questão, PORTUGAL hoje está difícil, mas amanha infelizmente, penso que estará ainda pior!
Assim visto possuir um nível e formação académicos aceitáveis (frequência em licenciatura (ambos) e algumas formações técnicas em hotelaria), fluência em inglês e alguns conhecimentos em francês, mas acho que me adapto bem à língua, estou a pensar em aventurar-me ponderadamente para a suíça!

Conheço, a zona, pois já lá estive de férias, sei como funciona e tenho acompanhado através deste blog muitas questões!
Devo dizer que só não vou hoje porquê gosto de fazerr as coisas com calma, pois tenho casa, carro, família cá! Mas tenho de pensar no meu/ nosso futuro! futuro até a longo prazo!!!
Sem imagem de perfil

De vanessa a 24.01.2012 às 12:24

ola!será que me podes mais alguns sites para procurar emprego? segui os dois que tens no artigo de como arranjar emprego na suiça e em 2 min encontrei mais anuncios do q ao fim de um ano.isto pq ao fazer a procura no google ele remete p um monte de sites de emprego(lixo) sem interesse. e à procura de emprego vim dar ao teu blog, por sinal mt bom!s tiveres os sites por aqui espalhados da-me uma luz pq n encontrei nd.obrigada ;)
Sem imagem de perfil

De Antonio a 25.01.2012 às 14:44

Olá Nuno,

Concoro com algumas afirmações tuas mas não concordo com uma muito importante: O rendimento auferido no estrangeiro não tem que vir para Portugal.
Eu, se decidir emigrar e sinceramente não me importava nada de viver num país digno de se chamar país (como a Suíça p.ex) provavelmente não volto. O futuro da minha filha certamente se afigura muito mais promissor num país nórdico do que neste marasmo de corruptos e oportunistas.
O rendimento fica onde é mais vantajoso ficar e a mentalidade de envio de remessas para a pátria amada já era ... confesso que não tenho qualquer orgulho em ser portugês.
Sem imagem de perfil

De mikatu a 27.01.2012 às 07:19

O que o Nuno referiu no blog eh que o emigrante tende a enviar dinheiro para PT, não que todos o iriam fazer.
Por norma a família ira continuar (pelo menos uma parte) em PT e como tal ira receber algumas remessas de dinheiro.

Essas remessas sempre existiram e irão continuar a existir. No entanto nem todos os emigrantes se enquadram nisso porque cada caso eh diferente.

Devemos sempre ter orgulho de ser Portugueses. No estrangeiro os portugueses são encarados como pessoas trabalhadoras e com valor-acrescentado .
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

O que o Nuno referiu no blog eh que o emigrante tende a enviar dinheiro para PT, não que todos o iriam fazer. <BR>Por norma a família ira continuar (pelo menos uma parte) em PT e como tal ira receber algumas remessas de dinheiro. <BR><BR>Essas remessas sempre existiram e irão continuar a existir. No entanto nem todos os emigrantes se enquadram nisso porque cada caso eh diferente. <BR><BR>Devemos sempre ter orgulho de ser Portugueses. No estrangeiro os portugueses são encarados como pessoas trabalhadoras e com valor-acrescentado . <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Nao</A> sinto orgulho ao que o nosso pais chegou actualmente mas sempre tive orgulho em ser PT. <BR>PT tem tudo para triunfar excepto um povo apático que não luta quando deve, mas apenas quando lhe vão ah carteira.
Sem imagem de perfil

De Cláudio a 27.01.2012 às 12:11

"PT tem tudo para triunfar excepto um povo apático que não luta quando deve, mas apenas quando lhe vão ah carteira"

Portanto, para si o país chegou a esta estado devido aos trabalhadores. Povo = trabalhadores.
Carrissimo, o país chegou a esta estado porque destruiram tudo o que era produzido no país. Chegou a isto porque em vez de investiram no país(industria, caminhos de ferro, pescas, agricultura, hospitais, escolas...), constroiem estádios de futebol, compram submarinos, F16's, gastam 2 mil milhões de BPN's e depois privatizam por 40 milhões e o contribuinte fica a arder nos outros 1960 milhões. Isto nada tem a ver com o povo !
Sem imagem de perfil

De 150.000 trabalhadores em Lisboa :) a 14.02.2012 às 01:39

Na Segunda -Feira passada, se lia nos jornais Helvéticos de que foram para Lisboa tanto como 150.000 pessoas manisfestar contra a RIGORIDADE-DURANCA- FMI e mais coisas, que os "" Gaivotas dos Dirigentes de Procùgal "" querem impôr aos cidadâos de Procùgaltroykado*.
_ Entâo haverà mistérios agora ? Todos os dinheiros que foram emprestados a Procùgal, nâo se vê nada de concréto ? Para onde vai esse dinheiro todo ? O povo, cada vez està mais em dividas; ficam sem as casas, sem os carros, sem os bens, sem as esposas, se alugam as mulheres, as filhas; se alugam homens; * se as pessoas trabalham, nâo sâo pagas,* e no meio de tudo isto, a vida està tâo cara, como se Procùgaltroykagada fôsse um paìs onde se ganhe 1500 Euros; mesmo assim, nenhum paìs aguenta mesmo que se ganhe 1500 Euros; como França; Alemanha, Bélgica, Espanha ou outros paìses de roda.

""" È ISTO A EUROPA - .?. """
Resposta :
""" Nada disso; chama-se * EUROPINA * """

.../...

Quando é que a EUROPINA se transforma em EX: YOGOSLÀVIA, que se dividiu em centenas de bocados .../... Ou como a RÙSSIA que hoje é tâo pequena.../... Quando é que as autoridades em Procùgaltroykagada deixam de calcar = pisar o povo, que este jà nem forças tem para andar de pé .?.
------------------------
Nâo o négo; pois eu jà nem posso ver certa gente da minha familia; esta gente que trabalha para o Estado; tudo sò para terem um salàrio garantido; e parecendo que nâo; ganham bem os 1200 a 1500 Euros ao mês = E gozam a quanto basta.................
------------------------
Chamo eu a isto, a * hypocrisia * e * cabeça vazia *
------------------------
.../... NÂO HÀ GESTÂO na EUROPINA .../...
.../... HÀ SIM... DINHEIROS PARA OS GOVERNOS...-...-... (( ° ! ° ))
------------------------
(( Hajam bilhetes para ir ao futebol e mulheres em alugueres; assim nâo falta dinheiros para bons comeres ))
------------------------
Parece que estou no Brasil = Vida fàcil ....,,,,,....
Sem imagem de perfil

De SUBMARINOS ... E ... F16 (s) !!! a 14.02.2012 às 02:02

Pròcùgal, comprou Submarinos para ir à pesca da sardinha, e a do bacalhau e outros peixes, e nada mais........................

As guerras NÛCLEARES ; Procùgal ainda desconheçe essa coisa, mas um dia; vai ter que muito cheirar esses cheiros * nauseabundos *, e sem poderem se salvar ou fugir para nenhum lado = caiem como as moscas !

Os F16 (s), isto sò se fôrem para ajudar um paìs vizinho a Procùgal, quanto ao resto; até pode ser que façam a caça a tordos ou gaivotas do mar ou assim ! Entâo, mas o paìs é tâo pequeno, e sem riqueza nenhuma a esplorar, nem nada de importante; como e para quê uns F16 (( chasseurs do ciel )), caçar o quê nos ares - Céus ?

Hà... agora vejo a coisa :
È para transportar o peixe pescado em Aveiro, e levà-lo de imediato a Vilar Formoso, em 10 minutos... para que os Espanhòis nâo morram de fome ! (( serà .?. ))

Ou entâo, é para fazerem corridas entre outros paìses, a ver aquele que voa mais ràpido... (serà .?.)

Haviam de se amarrarem uns contra os outros; e os submarinos tambem... e destribuirem os dinheiros pelos que necessitam de comer e de viver com toda a dignidade.

E sem esquecer,,,...,,, meter esses Dirigentes, Directores e Ministros a salàrios equivalentes a chefes de equipa de pessoal, como se veem em empresas e outras parvalhadas !

Força povo português; façam com que a coisa mude, mesmo à força que seja, se fôr preciso.

Se nâo fôr pela paz, hà sempre outros meios..........
Sem imagem de perfil

De Ana a 29.01.2012 às 23:26

Olá, boa noite Nuno!

Parabéns pelo blog.
Que tal o inverno aí por Genève?

Em Abril vou deslocar-me aí com um grupo de 40 alunos.
Vamos ficar alojados no CERN por três dias, mas queremos passear pela cidade.
Gostaria de uma sugestão sobre que titulo de transporte público adquirir.

Obrigada

Sem imagem de perfil

De Genevois a 31.01.2012 às 13:41

So tem estes:

http://www.tpg.ch/fr/index.php

e os taxis..

Uma vez no CERN, entao pode ousar pedir transportes deles.
Sem imagem de perfil

De ana a 09.02.2012 às 23:15

Olá

Obrigada pela ajuda. Já consultei a informação no site.

ainda assim, fiquei com algumas dúvidas.

O bilhete múltiplo para grupos ... múltiplo refere-se a múltiplas viagens ou a múltiplos viajantes?

se poder esclarecer agradeço.
Sem imagem de perfil

De João Mascarenhas a 31.01.2012 às 00:08

Boa noite

Envio os meus dados

João Mascarenhas

Profissão. Engº Electrotecnico

Idade:38

Eng à 8 anos na Câmara Municipal de Faro no departamento de Obras

Projectista e fiscalizaçao de obras
Linguas falada: Inglês e Francês(mais ou menos)
Bom ano
Obrigado

Comentar post


Pág. 1/2





Comentários recentes

  • Anónimo

    e se tiver uma proposta com trabalho certo???

  • Anónimo

    Eu neste momento apanhei o permi pelo meu pai mas ...

  • Anónimo

    Para um padeiro emigrante, eles pagam sempre pelo ...

  • Mane

    Sou cuidadora idosos ha varios anos em Portugal e ...

  • Jacinto Bruno Ribeiro Vasconcelos

    Boa tarde. Somos um casal portugues que pretende e...